Dr. Alexandre

CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES - IMPORTANTE !


Acho importante você saber que, como todo procedimento cirúrgico, a Cirurgia Plástica envolve riscos. Por isso é muito importante que o paciente esteja bem preparado para o ato anestésico e cirúrgico. Os exames pré-operatórios habitualmente solicitados para o adulto são:

  • Glicemia
  • Sódio e potássio
  • Uréia e creatinina
  • Hemograma completo
  • Provas de coagulação sanguínea
  • Eletrocardiograma
  • Radiografia do tórax nas incidências antero-posterior e perfil


Cada paciente em particular deve ser avaliado; assim, se o paciente apresentar hipertensão, por exemplo, deverá ser previamente avaliado por um cardiologista; um paciente diabético por um endocrinologista, etc.

Também há exames adicionais de acordo com a cirurgia pretendida. Para uma mamoplastia redutora é geralmente solicitada uma mamografia bilateral e/ou ultra-sonografia e/ou ressonância magnética, conforme a idade ou alterações que a mama apresente. Para cirurgias de rinoplastia geralmente é solicitada uma radiografia dos ossos nasais e/ou tomografia computadorizada dos ossos nasais e seios da face.

Toda incisão cirúrgica provoca uma cicatriz. A Cirurgia Plástica, mesmo realizada com os rigores da boa técnica deixará uma cicatriz, que pode se tornar pouco ou muito aparente. O conhecimento do cirurgião é imprescindível para a boa evolução cicatricial. Porém, as cicatrizes também dependem de fatores individuais, característicos de cada um, além dos cuidados pós-operatórios.

É curioso observar que mesmo pacientes com cicatrizes anteriores à Cirurgia Plástica não apresentam necessariamente resultados cicatriciais semelhantes. As áreas cirúrgicas variam muito ainda de acordo com as regiões no mesmo paciente: uma cicatriz no joelho comporta-se de modo muito diferente de uma cicatriz na pálpebra.

Além disso, cada paciente apresenta também um período pós-operatório diferente. A dor é uma preocupação importante e o cirurgião plástico pode adotar várias medidas no intra-operatório e no pós-operatório que reduzem muito a intensidade da dor. Analgésicos simples são em geral suficientes para se obter um alívio significativo.

Devemos ter atenção especial com os medicamentos de uso regular ou frequente. Alguns deles ( como por exemplo: aspirina, anti-inflamatórios e remédios naturais, como gingko-biloba, arnica, entre outros) provocam alterações nos sangramentos e na anestesia; faz-se necessária portanto a comunicação ao Cirurgião Plástico do uso de qualquer medicamento antes da cirurgia em questão.

Sem dúvida, o mais grave é a associação do fumo com a cirurgia plástica/anestesia. O ideal seria que o paciente não fumasse no intervalo mínimo de um mês no pré-operatório e de um ou mais meses no pós-operatório.